10 06 2010

Sem título

Você me deixa mal

Você me faz bem

Eu não me canso de dizer, é tudo você

Como se a  breve vida passasse devagar

Como se o tempo parasse

Deixa o tempo você

Deixa tudo, para o mundo

Se cubra do frio

Encoste no meu ombro

Viva a utopia

Se envolte em silencio

Se precise, me precise, nos precise

Não sobreviva, viva.

(vulto)

Anúncios




Manhã de Quarta-Feira

22 04 2010

Mais uma vez o @MrCaio por aqui, então, se divirtam-se vocês.

Hoje foi um dia que muito provavelmente não vou me esquecer. Não por ser o dia mundial do café, apesar de eu adorar um. Porém, foi um dia que pode ser considerado estranho desde o primeiro minuto, até mesmo no primeiro meio segundo da primeira piscada.

Veja bem, quem me conhece sabe que um dos meus muitos interesses é a leitura. Sou amante de um bom livro. Dou mais valor a romances do que livros técnicos, apesar de já ter lido alguns. Tendo eu tal gosto, não seria estranho eu me aventurar na criação de um. Tentei, um dia, criar um roteiro que pudesse ser transformado em um bom livro. Admito que os três primeiros capítulos acabaram se mostrando uma mistura de J. R. R. Tolkien com Douglas Adams¹. Alguns trechos ficaram tão detalhadas que o próprio Tolkien abandonaria meu livro e, certas piadas fariam Adams se revirar no túmulo. O que importa de tudo isso é que eu já ataquei de escritor, NUNCA de poeta.

Todas as vezes que quis atacar de poeta, falhei. Não saía dos três primeiros versos que quase sempre eram tristes de tão desajeitados. Sou tão ruim nessa arte que sempre recorri ao bom e velho Google, pai dos burros, quando queria me expressar em frases bonitas. Isso, cá pra nós, gera uma imensa perda de tempo vagando de site em site em busca de poemas bonitos.

Todavia, acordei com algo na cabeça. Um pensamento, um flash de algo que poderia ser escrito num papel. Por falta de papel e pelas mãos desajeitadas pelo sono, levantei e fiz uso do meu bom e velho companheiro COMPUTADOR. Nele passei 10 minutos sentado, abri o Notepad e digitei, com um olho meio fechado, palavras que no total não ultrapassaram 1KB de tamanho no arquivo. Foi como se eu me tornasse por um instante o próprio Chico Xavier. Digitei sem muito pensar, apenas seguindo aquilo que surgia na minha mente. Palavras que apareciam, rimavam, brincavam de ping-pong umas com as outras e tornavam esse momento extremamente agradável. Não sei se foi por eu estar passando por uma situação semelhante ou se sonhei e acordei com uma “timeline” do sonho pronta pra ser transcrevida, mas de alguma forma, aquilo estava pronto. Apenas escrevi, não me preocupei em fazer adaptações ou pensar em rimas. Apenas saiu.

Quando acabei, não passando de 10 minutos depois de ter acordado, fui na cozinha e fiz meu tradicional OVO FRIGIDO (qualquer dia explico essa brincadeira aqui) e toquei meu dia como sempre toco. Mas ainda assim, meu dia ficou marcado como a primeira vez em que consegui escrever algo meu, único, pessoal e de certa forma bonito.

E então, aí vai o que escrevi. Quem ler, espero que goste e comente. Caso não goste, aceito críticas desde que sejam construtivas.

Manhã de Quarta-Feira

Ando perdendo a cabeça
Desejo coisas impossíveis
Sinto falta de algo que nunca tive
Como isso pôde acontecer?

Quero um abraço apertado
Um beijo não dado
Um momento a dois

Cansei da cama fria, vazia
Quero eu e você, juntos

Quero meu lábio na sua nuca
Minha mão na sua cintura
Minha perna entre as suas

Um beijo nos seus ombros
Um roçar de nossas pernas
Uma frase dita aos sussurros

Aquele sorriso embaraçado,
Que não da pra ser imaginado
Perdido na nossa noite

Acordo pensando nisso,
Não é a primeira vez
Sempre é você que eu quero
Só muda o lugar, as ações, os porquês

E nada disso é vulgar
O que eu quero não é “curtição”
Tudo que eu tenho é pura paixão

Paixão essa que vem de algo mais profundo
Que só nasce em poucos no mundo
Algo perfeito na sua imperfeição
Eu te amo, de todo o meu coração.

Pra finalizar, no final da tarde quando eu já estava com meu tempo livre, fui defender os velhinhos² com um amigo, e depois de muita batalha e uma sequencia ÉPICA de backdoors, vencemos a partida nos exatos 108 minutos. Para quem não sabe, 108 é o número mais importante de Lost. E depois disso, só posso dizer o seguinte:

SOUTARAM O MONSTRU! CORRÃO PARA AS COLINAZ!


¹ – Na época eu não lia, mas hoje noto uma certa semelhança nos estilos

² – Conhecido mundialmente como DotA. Mais informações, GOOGLE IT!








%d blogueiros gostam disto: