Super Tição invade palestra do Tas

25 06 2010

Tá, eu gosto de Legendários, mas tá abusando..invadir a palestra do âncora do principal concorrente do programa esperando que ele faça ‘ombrinho, ombrinho, whatever’ é demais. Mion, você não tem essa moral toda. O Tas foi até simpático com ele..mas ficou claro que achou desnecessário e não gostou da interrupção.

Anúncios




COMBO: Band, A Liga, CQC e – #ForadaMinhaTV

5 05 2010

A BAND, todo mundo sabe é uma das emissoras terciárias (junto com gazeta, MTV, etc.), mas está tentando reverter esse quadro, tornando o canal mais ‘jovem’, renovando toda a faixa nobre. As segundas, CQC (falarei mais a frente), terças A Liga (também falarei mais a frente), quintas Polícia 24h, e sextas Tribunal na TV.

Tirando o Tribunal na TV, todos os outros atraíram, principalmente A Liga. A BAND fica na faixa dos 2-3 pontos de audiência,com esses programas, chegou a bater 7. Outra novidedade é a exibição da série motherfucker da HBO, Band Of Brothers, todos os dias, as 21h (à-lá SBT e Record), com poucos intervalos, dublagem média, e sem cortes. Tão de parabéns. Sempre tive curiosidade pra assistir a série, mas como não é lá meu tema preferido (GUERRA), nunca dei prioridade, mas é boa, to gostando, produzida por Tom Hanks e Steven Spilberg. Tá no 2º episódio, e tem exibição até dia 14.

CQC – o programa, todos sabem, é um formato importado, mas a versão brasileira superou a original, Argentina. Ele tem evoluído cada vez mais, e apesar de ser entreterimento descompromissado e abordar temas rasos, está bom. Tem dado bons índices de audiência (5-7), e seus integrantes vem ganhando programas separados, tal qual Rafinha Bastos, em A Liga.

O CQC tem um modelo de publicidade bem interessante, propagando inserido nos quadros, com os apresentadores e repórteres, assim diminuindo a quantidade de intervalos, e sendo irritante no começo e inofensivo no final, você nem sente a propaganda, que é rápida e bem feita. Alguns outros programas tem adotado esse modelo, que aparenta ser bem funcional.

A Liga – Programa de Rafinha Bastos, Thaíde (o mano da TVCultura), Débora Villalba (jornalista) e Rosanne Mulholland (atriz) mostram os ‘bastidores da notícia’, sob ângulos absurdamente diferentes, é um jornalístico diferente, meio um Profissão Repórter mesmo, mas melhor.

Na estreia eles vivenciaram como é a vida dos moradores de rua, e Rafinha Bastos até se caracterizou como um, pra viver na pele. Eles foram a fundo na reportagem, entraram com tudo, e entrevistaram, mostraram como é, as dificuldades, e como pensa o morador de rua, o mendigo, a criança drogada, etc. A audiência não foi ruim, cerca de 4-5 pontos, e o programa agradou. Espero pelo próximo.








%d blogueiros gostam disto: